No cameras allowed

Um dos factores da ampla disseminação dos vídeos musicais nas plataformas digitais é o facto de o formato, devido à sua duração e inteligibilidade, prestar-se muitas vezes a ser utilizado como uma espécie de laboratório experimental para a demonstração de diversas inovações tecnológicas. Uma das mais fascinantes dos últimos anos é a captação de imagens sem o recurso a câmaras ou a qualquer fonte de iluminação.

O primeiro vídeo musical a conseguir este feito é o do já clássico «House of Cards» dos Radiohead (James Frost, 2008). A componente visual do clipe consiste exclusivamente no recurso às tecnologias Geometric Informatics e Velodyne LIDAR que capturam imagens 3D num raio de 360º através de feixes de lasers de curto e longo alcance, disponibilizando ainda o código-fonte do vídeo musical para a sua posterior manipulação pelos utilizadores. Podem aceder a um making of do clipe aqui.

 

Apesar da inovação tecnológica que representa este vídeo, a verdade é que a sua produção foi relativamente anacrónica, na medida em que envolveu meios consideráveis e uma equipa pluridisciplinar de técnicos e de empresas que elevaram o seu orçamento para patamares próximos dos que eram praticados na década de 90. Mais recentemente, em Novembro de 2010, a Microsoft lançou no mercado o Kinect, um periférico para a Xbox 360 que permite aos utilizadores interagirem com os jogos da consola sem a necessidade de ter nas mãos qualquer tipo de comando ou joystick, inovando ainda mais no campo da jogabilidade já anteriormente explorado por consolas como a Wii da Nintendo. Apesar do Kinect possuir uma convencional câmara RGB, o dispositivo inclui igualmente um sensor de profundidade que sonda o ambiente em sua volta em 3D gerindo dados que, após processados, permitem a sua reconstrução visual. Isto é: dois anos depois, é fornecido ao grande público e a um preço acessível um pequeno artefacto tecnológico que, apesar de não ter sido idealizado e concebido para esse fito, permite a qualquer utilizador captar imagens em 3D sem o recurso a uma câmara tradicional ou a uma vasta equipa de técnicos altamente qualificados.

Como é óbvio, o universo dos vídeos musicais não demorou muito tempo (na verdade, apenas um mês) para chamar a este invento um figo. Pelo que consegui apurar, o primeiro clipe a ser “filmado” com o Microsoft Kinect foi o de «Young Silence» dos Echo Lake (Dan Nixon, 2010):

 

Mas, pelos vistos, o segundo é, nada mais nada menos, fruto do esforço de três engenhosos portugueses: Luís Clara Gomes, Luís Calçada e Francisco Costa. O primeiro (mais um sinal dos tempos que vivemos) é igualmente o músico por detrás do projecto musical Moullinex responsável pela trilha sonora. Foi ainda disponibilizada online uma pequena memória descritiva da concepção do vídeo que, à semelhança do clipe dos Radiohead, inclui o código-fonte das diversas fases do projecto. Como podem ver, a inovação tecnológica vernacular no universo dos vídeos musicais também é feita, com resultados estéticos bem interessantes, com o recurso a mentes que pensam em Português. De parvo, este trio não tem nada.

One comment on “No cameras allowed

  1. Pingback: Tilt-Shift « mv flux

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s